domingo, 5 de novembro de 2017

NUVENS

as nuvens estão pensativas
talvez chovam
talvez sigam
talvez permaneçam
paradas sobre a vida
talvez nunca sejam tocadas
talvez sejam feridas
seria mais fácil dizer
que as nuvens sou eu
porém nunca sonho com o mundo
e no mundo sonhado pelas nuvens
o que se move não sou eu


terça-feira, 31 de outubro de 2017

TURVA



a vida é clara
como a água
finge que evapora
mas não mora
quando desaba
não se enxerga
e sendo água
não se curva
mente que é infinita
e não se finda
sempre grita
e ao gritar se turva
mantém-se calma
mesmo quando agita
estrangula a alma
quando a imita

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

UM DIA, QUANDO EU ACORDAR



eu não estava preparado pra isso
acredito que ninguém esteja
mas isso veio dessa forma
e não havia como mudar
parecia que estava apenas na minha frente
no entanto estava em todo lugar
para onde eu me dirigisse
mesmo se eu fugisse
isso estaria por toda parte
ao redor e por dentro
na periferia e no centro
e mesmo tão presente
todo dia é diferente
finge parecer igual
para que possamos repetir os mesmos gestos
quando na verdade estamos cavando
o nosso próprio abismo
ao repetir os mesmos gestos
e aos poucos vamos afundando
sem nem perceber
e a luz vai sumindo
sumindo
sumindo
até apagar de uma vez

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

BOCA TAMBÉM



não desperdice beijos
boca também sorri
morde grita come
não desperdice
sangre o batom
com naturalidade
sem cerimônias
mas sem desperdiçar
coma o que a outra boca fala
grite o sorriso que ela beija
fale um beijo como se comesse
mas não desperdice