quarta-feira, 31 de outubro de 2007

INDIFERENÇA




tive que tossir

para que você percebesse
meu cadáver na sala

você foi à cozinha

e trouxe o xarope

sábado, 27 de outubro de 2007

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

VISITA

só visito a casa da poesia
na hora errada
ou ela está digerindo silêncios
ou saiu pra caçar palavras

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

esse poema é de NICOLAS BEHR

PEREGRINO DO ESTRANHO

no início vai sair sangue muito sangue
no inicio vai doer
depois não vai doer mais não
no início você vai sofrer
- aliás você está aqui pra que? -
no início você vai se desesperar
depois não vai se desesperar
mais não
no início você vai querer
morrer
depois não vai querer morrer
mais não
esse é antigo (1981) mas sempre fez (faz) sucesso

poema de amor no.4329

querida a
etiqueta do teu sutiã
tá suja de
sangue

terça-feira, 23 de outubro de 2007

EPITÁFIO


eu não tinha aonde me meter
agora tenho
eu não tinha onde meter
agora tenho
eu não tinha onde me ter
agora tenho
eu não tinha o que dizer
agora tenho

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

esse poema é de fatinha rego barros

ilusão

risco a dor



CASAMENTO

alguém pra coçar as costas

GENUFLEXORIO


o cu de deus não tem pregas
é difuso qual minha alma
por este motivo
redireciono meu pênis
à escrita
e esporro palavras
como setas

quinto canto do mundo

O quinto canto do mundo
é a poesia, claro
TODA POESIA QUE ME INTERESSE SERÁ PUBLICADA NESTE ESPAÇO
OU ALGO QUE SE APROXIME DA POESIA
OU ALGO QUE SE AFASTE (UM POUCO)

SEDE

 um poema escrito na água cumpre sua função  de sede