domingo, 21 de novembro de 2021

SOMBRA SUSPENSA

a umidade do rio não altera o meu corpo

que a contragosto me acompanha

desenhando poças em cada passo

em direção ao poço

em cujo pescoço a lua projeta os espasmos

do corpo pendurado

e o chão distante observa o pesadelo

por um ângulo sem medo

de acordar o instante

 

  

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...