quinta-feira, 29 de outubro de 2015

CABELO AZUL

pintei meu cabelo de azul
sem lembrar o céu
mesmo assim as estrelas surgiram
entre uma orelha e outra
e a lua ficou pendurada na minha nuca
pela manhã o sol irrompeu o meu crânio
derreteu o meu juízo
que se transformou nessas palavras

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

DISCURSO SEM PALAVRAS E SOBRAS

já que as palavras não são mais necessárias
e que sobrou somente nós
ou sobramos
não importa o que eu diga
ou o que sobrou
ou sobraram
não importa nós
ou eu
então não preciso dizer o que é preciso dizer
imagine o que eu poderia dizer neste momento
imagine a sua resposta
e depois veja o que sobrou
ou sobramos
e mesmo que eu dissesse
e você respondesse o que eu imagino que você responderia
nem precisaria imaginar as palavras
nem o que poderia sobrar
ou sobramos
mas se as palavras não são mais necessárias
então pra que dizer tudo isso?
imagine o silêncio que isso provocaria
e o que poderia sobrar
ou sobramos



ASSEPSIA MATINAL

retiro o olho do sonho
reponho na vida
retiro a vida do olho
reponho no sonho
olho pro sonho
não vejo a vida
olho pra vida
não vejo o sonho
sonho viver sem olhar
vivo sem olhar o sonho
sonho viver o sonho
não vejo o que sonhar




quarta-feira, 21 de outubro de 2015

MORTO, ÁRIA

cubro o ouro
com meu couro
ouro não apodrece
abraçado ao osso
resiste ao escuro
e ao silêncio úmido
ouro não tem alma
igual ao osso

       

FANTASIA DE SILÊNCIO

masturbo a flor
cravando sangue
em sua pétala
furo o sol
com outro sol
que hemorragia o meu olho                                          
estou na mira
da conversa
sou uma palavra
que nunca será mencionada

       

terça-feira, 20 de outubro de 2015

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

HEBDOMADÁRIO

o tempo goteja sem culpa
goteja no mesmo lugar
por onde escorremos
sentimos por dentro
o tempo escorrendo
por onde escorremos


PEQUENOS SUSTOS

pequenos sustos me comovem
uma flor que conversa
pensando que o perfume é a fala
por exemplo
pensar que a poesia salva
e hasteá-la ao lado do túmulo
recitando esperas


AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...