domingo, 21 de novembro de 2021

SOMBRA SUSPENSA

a umidade do rio não altera o meu corpo

que a contragosto me acompanha

desenhando poças em cada passo

em direção ao poço

em cujo pescoço a lua projeta os espasmos

do corpo pendurado

e o chão distante observa o pesadelo

por um ângulo sem medo

de acordar o instante

 

  

Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida usa palavras e delas se defende se transforma em estátua quand...