quinta-feira, 11 de agosto de 2016

UM SONHO PARA A MINHA CABEÇA

cuidei do sonho em cativeiro
arranquei suas asas
alimentei com espelhos
transformei em rastro sua fala
queimei seu sono pela goela
deixei que vomitasse janelas
tornei passível seu medo
bebi suas casas
mesmo assim não consegui
encontrar minha cabeça
talvez esteja procurando uma armadilha
que possa prendê-la


Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...