quarta-feira, 19 de outubro de 2016

CORRENTES

não adianta esperar a corrente
ou esperar da corrente a fala
ou se ela vai permanecer apagada
não adianta atravessar a corrente
deixar o elo marcar o corpo
ou o poro afogar no furo
não adianta sentir a corrente
do corpo dormente arrancar a penugem
o ponto final da corrente é a ferrugem


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...