segunda-feira, 18 de março de 2019

POEMA EM TESTE


testei um poema na cabeça
não deu certo
a cabeça não se abriu
mesmo com todo sonho derramado
testei o poema na água
por um momento a superfície estupefata
esbofeteou a própria face até formar estranhos
caminharam sobre as águas mas tinham asas
testei o poema no ar
não consegui respirar
testei na pele sob o sol
e essa camada formada que ora vos fala
parece palavra mas não passa da marca
do silêncio que ficou
testei o poema
utilizando palavras
essas escritas e outras pensadas
ele ficou longe sem alma
um nervo formado de alvoroço
testar poemas
é vestir um corpo sem osso




Um comentário:

Jeito Griô disse...

Adorei a loucura desses testes de poema. Meu amor, seus poemas, quanto mais loucos, melhores.