quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

PASSEIO

levo o meu corpo para passear
ele se derrama na esquina
recolho o que foi derramado
não quero meu terreno demarcado
estou aberto às invasões
espero que me ocupem
interrompam o meu corpo
e tomem todos os espaços
divida-o entre os ausentes
e que eu fique com a melhor parte


Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida usa palavras e delas se defende se transforma em estátua quand...