sexta-feira, 20 de maio de 2016

DESPELANDO

minha alma está despelando por dentro
sinto os ossos à mostra
o nervo curvado diante do escuro
meu corpo ausente
sobrevoa muros e prédios
pensa que é uma nuvem
e que a qualquer momento vai chorar ao chover


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...