terça-feira, 24 de maio de 2016

O RIO QUE CORRE DENTRO DA MONTANHA

a face pálida clareia a lágrima pedrada
parece uma ruga mas é uma mágoa
e afunda a carne em direção ao tempo
que parece fundo mas só atinge tudo
parece só pedra planta altura
parece menos clara que escura
parece calada eterna entranha
ninguém sabe o rio que corre dentro da montanha


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...