sábado, 23 de novembro de 2019

PENDULÁRIO


estou tão puro que me penduro no não
minhas palavras ao redor do pescoço
formam vãos acumulados no fundo do meu osso
meu esqueleto suspenso sem a necessidade de asas
luta por espaço com a gravidade
faz a terra ganhar mais alicerce
sem perder a claridade

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...