sexta-feira, 17 de outubro de 2008

MADRIGAL

a borboleta corta a paisagem
sem utilizar lâmina
a paisagem ondulada
pelo vôo
empalha a borboleta na memória

Um comentário:

Anônimo disse...

dá-lhe, tedinho!

SEDE

 um poema escrito na água cumpre sua função  de sede