segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

gaveta 49




no bucho
bala balançando
até virar susto
enxuto após
presa na mesa
furo no muro
estática estatística
do escuro
submerso no sangue
no pus do
absurdo
gaveta escaldada
nome sem vulto
defunto sem calma
estremece a tarde
com o silencio
sem espasmo

Nenhum comentário: