segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

O POEMA ABANDONADO

o poema abandonado
procura a beira da página
e se projeta
como se fosse um corpo
e sofre a queda e agoniza
e é enterrado e esquecido
como se fosse um morto


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...