segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

MAIS QUE SOFRO

morro mais do que sofro
sofrer goteja
sobre a pele sem poro
digital sem dedos
formando o medo
morrer me marca
lágrima encanada
na parede enterrada
ausência do mundo
esquecido no fundo
morrer me mata


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...