quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

O OLHAR DO MEU PAI

o olhar do meu pai me cavou
recolheu a entranha sem lavar
e porque estava suja
foi confundida com a alma
que por ter asa
não sabe se é funda
ou se é parada
e voa confusa entre o couro e a clava
sujando de sangue e de sal
por onde meu corpo passou
até alcançar o fundo
de onde meu pai me cavou


Nenhum comentário: