segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

CARNE DE PRIMEIRA



não estou preocupado com a cor do vento
conseguir respirar já me basta
nem cavar açudes pra esconder a lágrima
nos buracos que faço prefiro me esconder
nessas crateras pés estranhos me esmagam
sabendo que sou terra
não desenho gado pensando no açougue
nenhum desenho ou palavra conseguem me enxergar
estou longe
procurando um gancho onde me pendurar

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...