terça-feira, 15 de outubro de 2019

COROLÁRIO DO INSIGNIFICANTE



recolho-me à minha insignificância
e resolvo existir
tento levantar o meu corpo
sinto muita dificuldade
mas consigo
preciso carregá-lo pelas ruas
não sem antes vesti-lo
utilizo roupas iguais a diversas roupas
que diversas pessoas em diversos lugares
estão utilizando neste mesmo momento
alimento o meu corpo com uma refeição
que evite um desmaio até anoitecer
chego ao local onde o proprietário me fornece dinheiro
para que eu possa pagar as minhas contas
em troca submeto o meu tempo
a minha paciência parcimônia
conhecimentos inespecíficos
e mesmo assim todos os meses
protelo algumas contas
cumpro regras horários gestos desqualificados
hipocrisias qualificadas
tudo que poderia ser meu
ou o que eu gostaria de fazer
guardo no estômago
porque o coração não bate bem
nem a minha cabeça
e o meu sangue forma um rio que não corre para o mar
o tempo me faz de utensilio
mas ainda não sei onde estou pendurado
sinto o sacolejar constante
que me mantem acordado
mesmo assim eu sonho
mas nunca me lembro

Nenhum comentário: