quinta-feira, 9 de dezembro de 2021

HERANÇA

 

pouco resta antes do fim

e a esse pouco o fogo

depois as cinzas envelopadas

remetidas ao esquecimento

o que sobra do morto além do corpo

os pratos sujos

os musgos nos cantos do banheiro

um espelho partido pendurado na porta do armário

sapatos mofados

roupas tão puídas quanto a vida

páginas virtuais inacessíveis

senhas perdidas

conversas que nunca mais serão ouvidas

móveis obtusos

palavras e tintas

sentimentos que nunca mais serão demonstrados

e o silêncio pelo mundo repetido

Nenhum comentário: