segunda-feira, 10 de maio de 2010

POÉTICA

venero
derramo poesias ácidas
não concedo
espasmo palavrinhas fáceis
percebo
exploro o mundo inodoro
descasco
em faces tudo o que procuro

Nenhum comentário: