sexta-feira, 2 de maio de 2014

DÁDIVAS

do meu nariz
escorrem nuvens
não carrego lenços
choraria um céu se soubesse
o barulho dos meus olhos nos bolsos
lembram moedas
porém não devo nada
aos que me cobram
nem tenho palavras

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...