quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

TRANSBORDAMENTO

estou cheio
o que posso fazer
a não ser transbordar as palavras
que não molham nada
não há um espaço que caiba
não há sede que cesse
não há corpo que afogue



Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...