terça-feira, 4 de agosto de 2015

CARA À TAPA

antes de dar a cara à tapa
parei no mijador
despejei angústias junto com o ácido úrico
não tenho a menor idéia para onde foram
desprendi meus dedos na parede
enquanto olhava o que o cheiro provoca em troca
saí ainda com o corpo ainda quase aceso
as tapas me esperavam corri ao encontro
com a boca aberta
enquanto pensavam que eu sorria
eu mordia sem suavidade


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...