sexta-feira, 28 de agosto de 2015

NO MEIO DO RIO

a areia atravessa o meio do rio
com medo de ser uma lágrima       
sabe que sem olho não há sangue
sem caminho não há fome
a areia atravessa o meio do rio
sem tempo de voltar

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...