quarta-feira, 14 de novembro de 2018

ÓRBITA


a primavera não precisa de olhos
a verde escuridão lhe basta
assim como basta o azul para o amor
se é do céu ou do mar
a inclinação lhe ensinará
o amor não olha
abisma a órbita que o circula
parece tudo e risco
desaparece para ser visto


Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...