segunda-feira, 2 de junho de 2014

PRENSA

carrego nos bolsos poemas
que jamais serão escritos
minhas pernas pesadas
o mundo se afundando
eu sob o mundo
sendo esmagado
vendo os poemas espremidos
fugindo pelos lados

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...