quarta-feira, 19 de novembro de 2014

POUSO DA LIBÉLULA


a luz que se desprende da tarde
forma um rio iluminado
eu só sei nadar no escuro
bebi a luz até me safar
pendurei meus pulmões no varal
descansei meu corpo
igual a uma libélula pousada
no casco do cavalo


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...