terça-feira, 12 de janeiro de 2016

FLERTE

olho para a poesia
como quem não quer nada
ela me olha de volta
e como quem não quer nada
me dá essas palavras

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...