terça-feira, 6 de setembro de 2016

FORMANDO INIMIGOS

não vieram até a minha casa me mostrar
trouxeram anteparos contra o tempo
trouxeram apartamentos
não vieram até a minha casa me somar
trouxeram abismos complementos
objetos como aterros semoventes
trouxeram escadas até o fim
trouxeram a mim
com as mãos entrelaçadas a corpos
trouxeram outros departamentos
troços que formavam pensamentos
até ficarem roxos como flores de cimento
não vieram até a minha casa me buscar
trouxeram ossos cobertos de lonas de fumaça
trouxeram malas
repletas de telefonemas craseados
para o vizinho inflado
não vieram até a minha me ilustrar
trouxeram fotos armazenadas em cabides
roupas costuradas de pelos cerzidas com gelo
não vieram até a minha nunca vieram
ainda desespero
e tranquilo arranco minha cabeça pelo umbigo
expilo a alma para dentro
até formar um inimigo


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...