terça-feira, 24 de julho de 2012

SANGUE DESCONHECIDO

o sangue quase seco na mão
pegajoso cola os poros
respiro impaciência
um colar de chãos
envolve o meu pescoço
passeiam sobre mim
essas palavras
essas pessoas
o sangue seco na mão
pena que não é o meu

Nenhum comentário: