quinta-feira, 19 de julho de 2012

TEMPO QUE ME ENGOLE

o tempo me despela
estranha entranha
que me engole
sem dar goles
lençóis encobrem o céu
em grande escala
são a minha pele
arrancada pelo tempo
entranha imensa
engole minha cabeça
sem pagar a recompensa

Nenhum comentário: