sexta-feira, 8 de agosto de 2014

CASA QUASE CLARA


branca
assim se abria a casa
para os meus pés
em forma de asas
para os meus sonhos
em forma de malas
branca
quase nula
pendurada diante do que perdeu
meu corpo sem sombra
atravessa um caminho
que resolveu abandonar


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...