quinta-feira, 14 de agosto de 2014

QUARTEIRÃO



fui dar uma volta no quarteirão
o sol estava preso lá fora
os meus pensamentos estavam soltos
se havia flores não percebi
mas elas perceberam quando foram pisadas
gritaram perfumes
mas ninguém percebeu
o cheiro da vida não admite as flores
nem que as cores sejam perdoadas
tento prolongar o meu olhar além
a vida termina onde os meus olhos alcançam
depois disso 
talvez os cegos possam me guiar


Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...