sexta-feira, 4 de março de 2016

INUMADA

oculto a palavra como um cadáver
sem cerimônias sem choros sem consternação
oculto e espero que apodreça
espero que eu me esqueça onde ocultei
espero que os ossos nunca sejam retirados
espero que ela nunca descubra o que há do outro lado


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...