quarta-feira, 9 de março de 2016

LARGO

a lâmina d’água corta a margem
até formar um lago
o olho vê o que a cabeça diz o que é pra ver
o poema se forma na página mais rápido que uma flor
mas não alcança a primavera
o poeta desembarca em qualquer estação
mesmo sozinho jamais o verão

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...