quinta-feira, 30 de julho de 2009

POEMA DE G.VIEIRA

REPOÉTICA


porque sou poeta
jogo palavras como dardo
escrevo poemas à foice
pra arrancar flores
e botões da camisa
suja de abraços
a quantas braças do sentir
a tantos nós de mim - poesia
mar que me seca e alarga
entre coisas que sempre
vou desaprender

Nenhum comentário: