terça-feira, 13 de julho de 2010

DESMEMORIADO RETICENTE

a felicidade
arranha o disco
da serenidade

a infelicidade
não tem pontas
desce reta
até o ponto

eu quero as coisas curvas
mesmo as curtas
não precisam
de memória

Nenhum comentário: