quinta-feira, 9 de abril de 2015

RELVA DE CARNE

quem pensa não tem noção
das folhas que disparam
inúmeras sombras
cores parecidas com flores
músculos de horas de espera
e depois de tudo isso não se perder
da esfera produzida pelo outono
rolo de maneira suave
quase alcanço o solo
relva de carne sem paisagem
por tudo isso me cubro

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...