segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

TALVEZ AMANHÃ

quando todas as palavras acabarem
e o silêncio aprender a ser mudo
a poesia vai mostrar para que serve
um poeta sem face
uma rua que trace
um movimento contrário
ao que se pensa
imaginário

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...