terça-feira, 1 de julho de 2014

PRECISO DE UM BARCO

preciso de um barco
que navegue em minhas veias
um barco vazio e sem velas
os remédios não fazem mais efeito
preciso de um barco
que abra as minhas artérias
um barco que sempre afunde
e nunca atinja o fundo


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...