sexta-feira, 4 de setembro de 2009

o poeta posto a nu


o poeta foi descoberto
apesar do terno e da gravata
ou dos sapatos baixos
no meio da multidão ele se destaca
por não possuir nenhum cheiro característico
muitos não sabem
mas o silêncio do poeta
é repleto de palavras
mesmo assim ele é convocado para cantar
mesmo sangrando
o poeta poreja uma palavra
e o verão chega
o poeta lacrimeja uma frase
e vem o inverno
qualquer gesto do poeta
e as estações se manifestam
porém o poeta quer ficar imóvel
não como uma estátua em praça pública
quer ser um dos pombos
que se perdeu da revoada
porque se distraiu catando grãos
entre um silêncio e outro

Nenhum comentário: