terça-feira, 16 de novembro de 2010

SAL

escondo o meu grito da multidão
trago bem guardado na mão
o silêncio necessário
onde ele se ancora
eu não sabia
que era um navio
eu sentia o frio
e o mar bravio
eu não sabia
que a minha vida era o sal

Nenhum comentário: