sexta-feira, 27 de março de 2015

AÉREA III

a poesia é um ar irrespirável
inocentes os que a respiram
pensando salvar os pulmões
a mancha produzida
é imperceptível a olho nu
mas no espaço 
é formado um buraco
do tamanho que faço


Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...