quinta-feira, 26 de março de 2015

TERRENA III

por mais que eu tente
não consigo enxergar todo o meu território
uso binóculos
lunetas
envio mensageiros
que nunca retornam
introduzo o meu corpo
em algum sonho
ou finjo que estou dormindo
o mundo me sacode e me joga contra as suas paredes
acordo aos pedaços
e sem saber aonde caibo

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...