terça-feira, 17 de março de 2015

PORO DA BORBOLETA

o chão está muito frio
preciso ler mais poesia
vestir de graça o meu couro
pensar na possibilidade do retorno
da minha alma ao local de origem
exatamente onde as borboletas
porejam suas cores

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...