sexta-feira, 13 de março de 2015

POEIRA

poesia não parece com papel
mas sem ele
como ela ficaria?
poesia parece com um sopro
sem a boca
o sopro que vem
não sabe de onde
enche os olhos de pó
entre os dentes o pó
forma essa poeira
que não assenta nunca


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...