segunda-feira, 11 de junho de 2012

PRAIA

a praia que se adensa
tremula
tal qual uma bandeira
o dia me espia surpreso
porque a poesia me ensinou
a passar da hora de morrer


Nenhum comentário:

SEDE

 um poema escrito na água cumpre sua função  de sede