segunda-feira, 6 de maio de 2013

POÇO

unhas no fundo do poço
as asas do escuro acomodam-se
voar requer abismos
num fundo impossível
o poço é poeira
no meio das entranhas
lá dentro é que mora o estio
a garganta onde o vento avança
lá dentro do bem dentro
tão dentro que o fora
o ignora

Nenhum comentário: