segunda-feira, 9 de abril de 2012

ATENTO

o poeta deve permanecer
sempre atento
e ao mesmo tempo distraído
atento à claridade usando óculos escuros
atento à escuridão de olhos bem abertos
atento ao vácuo
e ao corpo que cai
de encontro ao solo
atento ao solo
sem o corpo
que flutua distraído
pelo espaço conhecido

Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...